Para apresentar proposta de cooperação técnica com a Prefeitura de Ipatinga, o vice-presidente do Crea-MG, engenheiro mecânico Edilio Ramos Veloso, e o inspetor-chefe do Conselho na cidade, engenheiro eletricista Blander Narciso, se reuniram com o secretário municipal de Planejamento Sidnei Bispo. O encontro ocorreu no dia 25 de maio de 2021. “Entregamos ao secretário a minuta e nos colocamos à disposição do poder executivo para auxiliar nos assuntos que envolvam engenharia, agronomia e geociências”, afirmou Blander.

De acordo com Edilio, a parceria com a prefeitura visa fortalecer as ações de fiscalização. “Nosso objetivo é otimizar a fiscalização, trabalhando mais próximo dos gestores. É uma via de mão dupla que visa o desenvolvimento da cidade. Por um lado, a prefeitura fornece informações sobre as obras e serviços de engenharia executados no município e, por outro, o Crea-MG cumpre sua função de defender a sociedade da prática ilegal das atividades técnicas, exigindo a presença de profissionais legalmente habilitados, com atribuições específicas, na condução dos empreendimentos das áreas da engenharia, da agronomia e das geociências”, explicou Edilio.

 

Almir Moura
Divisão de Comunicação e Publicidade

 A realização da blitz de fiscalização do Crea-MG na cidade de Governador Valares foi o destaque no Crea na mídia desta semana. Confira abaixo.

 

BLITZ DE FISCALIZAÇÃO

1.Fiscalização em obras: CREAN-MG percorre empreendimentos em Gov. Valadares

29/05/2021 | TV Record Leste | Governador Valadares – MG

2.Governador Valadares recebe blitz de fiscalização do Crea-MG

19/05/2021 | Rádio Mundo Melhor | Governador Valadares – MG

3.Governador Valadares recebe blitz de fiscalização do Crea-MG

26/05/2021 | Diário do Rio Doce | Governador Valadares – MG

 

FISCALIZAÇÃO DOS HOSPITAIS

4.Hospitais de Montes Claros são fiscalizados pelo CREA-MG

18/05/2021 | Rádio Educadora | Montes Claros – MG

5.Crea fiscaliza unidades hospitalares em Paraíso

25/05/2021 | TV Sudoeste | São Sebastião do Paraíso – MG

Um anúncio feito pelo governo federal comunicou sobre o cancelamento do Censo 2021. Tal decisão é proveniente da falta de verba após o corte de 96% do orçamento. Porém, pode refletir negativamente nos investimentos e no crescimento das áreas tecnológicas.

Entenda como funciona:

- O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) se constitui como principal provedor de dados e informações do país e é o responsável pelo Censo. O Censo é a pesquisa que visita as casas dos brasileiros, medindo o tamanho da população e dezenas de outras características. São mais de 60 milhões de residências, espalhadas por 5.570 municípios e 8,5 milhões de quilômetros quadrados.

Ele é o procedimento de quantificação da população habitacional de cada município que viabiliza a qualificação de representantes nas Câmaras Municipais, Assembleias Legislativas e no Congresso Nacional. O Censo Demográfico também revela as taxas de desemprego, as características dos domicílios e das famílias, informações sobre frequência à escola e à universidade (e quais disciplinas estão sendo cursadas), taxa de analfabetismo, saneamento, sustento da família, raça, mortalidade, coleta de lixo e fornecimento de energia elétrica, entre outros dados. 

Impactos da falta do Censo nas áreas tecnológicas

Dados sobre a distribuição, renda e demandas reprimidas da população ajudam gestores públicos a identificar áreas que necessitam de transporte público ou a localização adequada para moradias populares ou para a passagem de grandes obras viárias, indicando até mesmo a quantidade de desapropriações necessárias e quantidade de veículos que transitarão por tais obras, distribuição de pontos de ônibus embasada em quanta gente eles vão atender.

Embora muitos outros critérios (desde ambientais até políticos) influenciem essas decisões, quando o aspecto censitário não é levado em conta, geralmente essas obras acabam perdendo em eficiência. Com tais informações o poder público pode identificar áreas de investimento prioritárias em saúde, educação, habitação, saneamento básico, transporte, energia, programas de assistências e outros. Inclusive os dados (para as variáveis relevantes) do Índice de Desenvolvimento Humano (IDH), definidos, coletados e processados de maneira uniforme para todos os municípios brasileiros são aqueles provenientes dos Censos Demográficos do IBGE. Portanto, para garantir a homogeneidade do cálculo dos índices, todos os indicadores têm que ser extraídos, direta ou indiretamente, dos censos.

O presidente do Confea, engenheiro civil Joel Krüger, destaca que o Brasil necessita de ações de investimentos pós-pandemia que dependem de tais dados. “Estamos em meio a uma pandemia, em que o Brasil registrou uma taxa de desemprego de 13,9% no quarto trimestre de 2020, ano marcado pela maior taxa de desemprego média anual desde 2012. Vimos a importância dos investimentos em ciência e tecnologia, e precisamos retomar os investimentos em saúde, saneamento e habitação, entre outras políticas sociais que sofreram forte retração de investimentos públicos. As ações governamentais pós-pandemia serão fragilizadas pela ausência das informações que alicerçam os estudos para políticas públicas e investimentos”, destaca Krüger. 

O conselheiro federal engenheiro agrônomo Annibal Lacerda Margon destaca os impactos nas áreas agronômicas. “Do ponto de vista do setor produtivo agrícola, a falta de dados atualizados e consistentes sobre a população brasileira implica não se conhecer a realidade de como se estruturam os lares e famílias de nosso país. Essa fotografia nacional se faz importante para dimensionar as necessidades de produção e consumo dos produtos agropecuários para a sustentabilidade básica de toda a sociedade,” alerta Margon. 

Para o ex-vice-presidente do Banco Nacional do Desenvolvimento (BNDES), professor engenheiro civil Darc da Luz Costa, qualquer intervenção humana para ser eficiente necessita de planejamento. “A engenharia para ser operada de forma eficiente necessita de uma previsibilidade, de um planejamento, e esse está basicamente ligado à coleta de informações. O Censo provê informações, de posse desses dados é que se dá um planejamento eficiente, o que está extremamente ligado às obras de engenharia. Sem o Censo, logo se compromete toda a possibilidade de investimento público e privado eficiente, perdendo a capacidade de avaliar os impactos de ação em todo o território nacional”, defende Darc. 

 

Fonte: Confea
Letícia Rodrigues de Almeida/ Assessoria do Gabinete do Confea
Imagens: Agência IBGE Notícias/IBGE

 

 

 

Com a preocupação de atingir o mais amplo espectro da população, o Confea lançou no dia 28 de maio sua campanha institucional para 2021. Com o tema “Todo serviço bem-feito, tudo que é bem cultivado e bem construído, tem o Sistema Confea/Crea. Sempre ao seu lado” a campanha já está sendo divulgada e deverá percorrer as principais praças publicitárias em algumas mídias, além de atingir todo o país pela internet. 

“Buscamos sempre atualizar a nossa marca, mostrando para a população um pouco dos serviços que estão no cotidiano das pessoas. A essência do Sistema é atender às demandas sociais, portanto, precisamos manter um contato permanente com os nossos diversos públicos”, descreve o presidente do Confea, engenheiro civil Joel Krüger.

Integrante do Conselho de Comunicação e Marketing do Sistema, a presidente do Crea-RN, engenheira civil Ana Adalgisa, considera que "a campanha mostra para os profissionais a importância da fiscalização do Crea na defesa do exercício profissional, ou seja, na defesa deles, e mostra também para a sociedade como a gente está presente em tudo: a gente está presente desde o alimento, ao abrigo, não só da nossa casa, mas dos hospitais, do nosso trabalho. Então, essa campanha é muito rica nisso para mostrar a importância dos profissionais da Engenharia, da Agronomia e das Geociências no dia a dia das pessoas”, comenta. 

O publicitário Felipe Sampaio reitera que a campanha tem a preocupação de apresentar a utilidade pública do Sistema, mostrando como a fiscalização e o exercício das profissões impactam a vida das pessoas, mesmo que, muitas vezes, isso não seja perceptível. “Em uma obra de um hospital ou em um supermercado, há a presença da fiscalização do Sistema”, exemplifica. 

Com peças como filmes de 30 segundos e 15 segundos, frontlight, outdoor, banners web e posts e vídeos para redes sociais, a campanha será apresentada na Globo News e na CNN, mídia exterior, internet e mídia aeroportuária de Brasília das cidades de São Paulo, Rio de Janeiro, Curitiba, Recife e Manaus.

 

  

Equipe de Comunicação do Confea

Fiscalização e parcerias com a Prefeitura e a Câmara Municipal de Teófilo Otoni foram os assuntos tratados na reunião entre inspetor-chefe do Crea-MG no município, engenheiro civil Ulisses Guimarães, e o presidente do Conselho, engenheiro civil Lucio Fernando Borges, em 28 de maio de 2021. "Estivemos com o presidente da Câmara Fábio no dia 26 para firmarmos o Termo de Cooperação Técnica e explicamos que vai trazer benefícios para o município nas ações de fiscalização. Nosso próximo passo é conversar com o prefeito Daniel Sucupira", afirmou Ulisses. Para Lucio “é importante essa articulação dos inspetores para aproximar mais o Crea-MG dos vereadores e gestores municipais”.

Também participaram da reunião realizada na sede do Crea-MG, o inspetor-secretário, engenheiro civil Wellington Gonçalves Valente; o inspetor-tesoureiro, engenheiro eletricista Arthur Dutra de Almeida; os gerentes dos departamentos de Fiscalização, engenheiro agrônomo Humberto Falcão; de Planejamento, Gestão e Tecnologia, engenheiro mecânico César Paiva, de Comunicação e Relações com Colégios, engenheiro civil Jean Marcus Ribeiro; das divisões de Fiscalização, engenheiro eletricista Nicolau Neder; de Gestão dos Colégios Maria Cristina da Silva; e o supervisor da Seção de Registro Ricardo Barbosa Lacerda.

 

Almir Moura
Divisão de Comunicação e Publicidade

O inspetor-chefe do Crea-MG em Poços de Caldas, engenheiro de produção Fernando Antônio Oliveira Júnior, e o conselheiro, engenheiro civil Nelson Gonçalves Filho, conversaram com o secretário de Planejamento, Desenvolvimento Urbano e Meio Ambiente, Antônio Carlos Alvisi, em 19 de maio de 2021. O objetivo foi apresentar proposta de cooperação técnica entre o Conselho e a Prefeitura. Para esclarecer a respeito da parceria, eles apresentaram ao secretário a Cartilha “Ideias e soluções para os municípios - Contribuições da engenharia, da agronomia e das geociências”. No mesmo dia, também se reuniram com o presidente da Câmara Municipal, Marcelo Heitor, ocasião em que falaram da mesma proposta.

De acordo com o inspetor-chefe, “o convênio será importante para aprimorar a fiscalização em Poços de Caldas e contribuir com o seu desenvolvimento”. Ele acrescentou que “ao fiscalizar, o Crea-MG busca assegurar que apenas profissionais habilitados e empresas registradas atuem na prestação de serviços de engenharia, agronomia e geociências, trazendo segurança para a sociedade”.

 Sec. Planej. Desenv.Poços de Caldas Antônio Carlos e insp Fernando 19 05 2021 II

Da esquerda para direita: Antônio Carlos Alvisi; Fernando Júnior; Nelson Gonçalves Filho.

 

Almir Moura
Divisão de Comunicação e Publicidade